Empréstimo ou Financiamento? Qual eu devo escolher?

advertising

Levando em conta sua atual situação e necessidades, ao comparar um empréstimo e um financiamento, você saberia dizer qual dessas opções seria a mais adequada?

Quando você se depara com o desejo de realizar um sonho como a compra de um imóvel ou veículo, é normal que muitas perguntas venham em sua mente.

E uma dessas perguntas deve ser a seguinte: afinal, o que seria mais adequado, solicitar um empréstimo ou financiamento? Como decidir?

Como devo basear a minha escolha? Como comparar as duas alternativas e tomar a melhor decisão para não ficar no prejuízo e gastar menos?

Considerando o quanto essa decisão é importante, elaboramos este conteúdo para lhe ajudar a sanar suas dúvidas com o intuito de conduzi-lo a melhor escolha.

Primeiro de tudo, quais as diferenças entre o empréstimo e o financiamento?

De forma resumida, em ambos os casos você está basicamente pegando dinheiro emprestado com uma instituição financeira e se comprometendo a devolver parcelado.

No caso do empréstimo não é necessário definir o que será feito com este valor em dinheiro e essa é a principal diferença entre eles.

Ao solicitar um empréstimo, caso não tenha um valor pré-aprovado a instituição fará uma análise completa dos seus dados para verificar qual valor poderia ser liberado.

Atualmente existem duas opções de empréstimo, com garantia ou sem garantia.

No empréstimo sem garantia basta que seu perfil seja aprovado e está tudo certo.

Enquanto que no empréstimo com garantia se faz necessário declarar algum bem ou investimento que servirá como garantia de que o empréstimo será quitado.

Geralmente no empréstimo com garantia é possível conseguir um aumento no valor do crédito, bem como uma redução da taxa de juros do contrato.

Quanto ao financiamento, informar a finalidade para qual o dinheiro será utilizado é obrigatório, não importa se você irá comprar um carro ou imóvel.

Para que o financiamento seja aprovado é bem provável que você tenha que comprovar renda e contratar algum seguro.

Diferente do empréstimo onde não existe vínculo além do compromisso de pagamento, no caso do financiamento, como o bem fica alienado a instituição, as taxas de juros costumam ser menores.

Além disso os prazos de pagamento dos financiamentos costumam ser bem maiores.

Apesar disso, alterações nas condições de contratação podem ocorrer com o tempo devido à mudanças na economia.

Por esse motivo é sempre válido analisar todas as condições antes de optar por qualquer um deles.


Empréstimo ou financiamento?

Para saber qual deles você deve escolher, é preciso conhecê-los a fundo e responder algumas perguntas importantes.

Por exemplo, é sabido que existem diversos tipos de empréstimos com condições de contratação diferentes, vejamos:


Empréstimo pessoal:

É o tipo de empréstimo mais comum que normalmente está pré aprovado para o cliente de uma determinada instituição.


Empréstimo com garantia de imóvel:

É aquele onde o imóvel que a pessoa possui é parcialmente refinanciado para que o valor sirva como garantia de pagamento.

Empréstimo com garantia de veículo:

Assim como no modelo de empréstimo acima, parte do veículo é refinanciado para que o valor sirva como garantia.

Empréstimo com garantia de investimento:

Nessa modalidade o cliente deve possuir um investimento específico junto a instituição.

Empréstimo para negativado:

Esse tipo de empréstimo visa atender pessoas com restrições que não conseguem ser aprovadas no empréstimo comum. Vale ressaltar que os juros cobrados nessa modalidade podem ser extremamente altos.

Empréstimo consignado INSS/empresas privadas:

São empréstimos concedidos pela previdência social ou pela empresa onde o cliente trabalha.

Dentre todas as opções de empréstimo que podem atender o seu perfil, é preciso avaliar as condições gerais de cada modalidade para escolher aquele que atenderá melhor suas necessidades.

Algumas modalidades de empréstimo são bem específicas mas, quando comparada a outras, é possível perceber grandes semelhanças.

Tipos de financiamentos:

Os financiamentos visam possibilitar que alguém conquiste um bem ou serviço específico como: imóveis, veículos e bolsa de estudos.

A variedade de financiamentos é bem pequena porém, o número de instituições que oferecem esse tipo de serviço é muito grande.

Como as condições de contratação podem variam bastante de uma instituição para outra, recomendamos que você pesquise bem antes de fazer uma escolha.

O que considerar para escolher entre empréstimo ou financiamento?

Existem dois fatores importantes que devem ser considerados na hora de escolher entre um e outro:

  • O que você deseja comprar;
  • Qual é sua renda mensal.


Determinar sua renda mensal lhe ajudará a saber qual o valor máximo da parcela que cabe no seu bolso.

Detalhes como: taxa de juros e prazo para pagamento também precisam se adequar a sua realidade financeira.

E por fim, aquilo que você deseja conquistar poderá definir qual tipo de crédito é o mais adequado.

Um exemplo disso são imóveis e veículos antigos que não são aceitos em financiamentos, obrigando a pessoa a optar por um empréstimo para conseguir comprá-lo.

Sendo assim, elaborar uma lista de critérios que possam lhe ajudar a definir o que é mais importante e indispensável fará uma grande diferença.

Depois de escolher entre empréstimo e financiamento, quais cuidados devo ter?

Agora que você já conhece um pouco melhor essas duas linhas de crédito, e sabe qual delas deve escolher, é hora de focar em alguns detalhes.

Cuidados com empréstimos:

Antes de escolher um empréstimo é preciso avaliar cuidadosamente todas as condições do contrato e pesquisar as taxas de juros que a instituição aplica.

Além disso, tome cuidado com intermediações que visam “agilizar o processo”, isso acontece muito mas não é algo seguro.

Algo indispensável é buscar saber tudo a respeito da instituição para saber se ela está autorizada pelo Banco Central.

E em casos de empréstimos para aposentados, verifique se existe convênio entre a instituição e o INSS.

Por fim, anote qual será o custo do empréstimo e se você será capaz de assumir essa dívida.


Cuidados com financiamentos:

Quando alguém opta por um financiamento, terá de assinar um contrato e por isso é muito importante estar atendo aos detalhes. Veja o que deve ser observado:

  1. Verifique as taxas de juros e se elas estão de acordo com a lei;
  2. Verifique se o reajuste das parcelas é compatível a sua variação salarial;
  3. Verifique se existe a contratação de seguros que para imóveis é obrigatória;
  4. Verifique se existe a cobrança do plano de coeficiente salarial que só pode ser aplicada se estiver mencionada no contrato;
  5. Verifique se o valor das prestações não ultrapassa 30% da sua renda.


OBS.: a taxa de juros do financiamento imobiliário feito através de bancos ou financeiras não deve extrapolar os 12% como é determinado por lei.


Tome cuidado!

Antes de contratar qualquer financiamento é preciso fazer um bom planejamento financeiro e pesquisa de mercado para assim evitar cair em armadilhas e acabar pagando muito mais caro para realizar um sonho.


Prós e contra do empréstimo:

PRÓS:

  • não precisa estar vinculado a um bem;
  • valores pré-aprovados;
  • contratação facilitada que não exige documentos;
  • diversas opções para cada tipo de pessoa.


CONTRA:

  • valor de crédito mais baixo;
  • quantidade de parcelas menores;
  • taxa de juros mais elevada.


Prós e contra do financiamento:

PRÓS:

  • valores aprovados são maiores;
  • quantidade maior de parcelas;
  • condições pré-aprovadas;
  • condições de contratação mais atrativas por conta da grande concorrência;
  • programas de incentivo que facilitam a aprovação.


CONTRA:

  • o bem pertence a instituição até o final do contrato;
  • despesas com cartório para averbação do registro do bem ao fim do contrato;
  • restrições para aceitação do bem no financiamento;
  • processo de documentação burocrático.

Conclusão:


Em ambos os casos, como se pode perceber, existem vantagens e desvantagens que não podem ser excluídas ou negadas.

O segredo para fazer a melhor escolha é ser bem organizado, conhecer as opções a fundo, saber exatamente o que você quer e ter um plano de ação.

Independente da sua escolha, saiba que, sempre é possível evitar pagar juros abusivos e ainda conseguir descontos caso haja uma antecipação no pagamento das parcelas.